A cultura portuguesa é verdadeiramente vocacionada para celebrar a alegria de viver, ainda que os estereótipos em torno do alegado fatalismo do fado digam o contrário. Para os viajantes e turistas, a cultura portuguesa torna-se um imenso tesouro, tanto mais surpreendente quanto mais distante for a cultura de origem do visitante. Embora muitos portugueses também desconheçam as particularidades do seu próprio país, tal é esta diversidade. Vejamos alguns exemplos.

Gastronomia e Vinhos

Nunca é de mais salientar a riqueza da gastronomia portuguesa, favorecida pela diversidade climática e ambiental e pelas diferentes influências culturais. Quanto aos vinhos, Portugal é líder mundial.

Literatura

JJosé Saramagoosé Saramago foi galardoado com o Prémio Nobel em 1998 e António Lobo Antunes, escrevendo de forma intensíssima e original há quase 40 anos, é um habitual candidato a receber o galardão máximo da literatura mundial. Ambos sucedem a Pessoa, Eça de Queirós, Almeida Garrett, Luís de Camões e outros grandes nomes da literatura portuguesa. A obra de Saramago “Viagem a Portugal” pode servir de inspiração ao turista que queira conhecer o país.

Fado

O fado é um estilo musical oriundo da cidade de Lisboa. Ao longo do século XX, passou de expressão cultural das classes sociais desfavorecidas, desprezado pelas elites, a símbolo nacional. Para tal muito contribuiu o brilhantismo de Amália Rodrigues, um das primeiras grandes “super-estrelas” da cultura portuguesa.

Folclore

Há muito mais na música e na dança portuguesas do que o fado. O folclore apresenta influências célticas nos pauliteiros de Miranda e influências mouras no cante alentejano, declarado Património Imaterial da Humanidade pela UNESCO, a par do fado.

Arquitectura

Os 800 anos de história de Portugal estão vivamente expressos na arquitectura religiosa e civil, nomeadamente nos castelos, mosteiros e palácios. De Norte a Sul e ilhas, há centenas de exemplos. O românico está muito presente no Norte, em igrejas sólidas e antiquíssimas como S. Pedro de Rates. Na transição para o gótico, a dinastia de Aviz deixou na Batalha um monumento classificado como Património Mundial. Os Descobrimentos trouxeram o manuelino (Jerónimos e Belém, Lisboa), e em séculos posteriores o barroco e o rococó (Clérigos, Porto).