Portugal é membro de pleno direito da União Europeia. Isto significa que, enquanto membro do espaço Schengen, cidadãos de um grande número de países gozam de facilidades, quer na obtenção de vistos para entrar em Portugal, quer nas condições de permanência no país. Vejamos as principais modalidades.

Documento de Identificação

Os cidadãos da União Europeia e de Liechtenstein, Andorra e Suíça (todos países com relações muito próximas com a União) não precisam de visto para entrar em Portugal, bastando o seu documento de identificação. Não é de espantar que muitos europeus escolham Portugal como destino de férias. Para muitos espanhóis, cruzar a fronteira portuguesa tornou-se menos que uma formalidade.

Permanecer 90 dias sem visto

Além disso, podem permanecer em Portugal sem visto durante um período de 90 dias não só os cidadãos europeus e dos três países já referidos, mas também naturais de um conjunto alargado de estados com os quais Portugal mantém uma relação privilegiada. Na lista incluem-se os Estados Unidos, o Brasil, Austrália e Nova Zelândia, Canadá, o Vaticano e diversos países da América Latina de expressão espanhola. Estados Unidos e Brasil contam-se entre os maiores emissores de turistas para Portugal. Este período de tempo é suficiente para visitantes norte-americanos e brasileiros conhecerem o país com detalhe; os brasileiros vêem conhecer o país de seus bisavós e antigo colonizador, enquanto os americanos surpreendem-se com as diferenças em relação a Espanha.

Note-se que quem quiser entrar em Portugal com o objectivo de procurar trabalho, poderá não se incluir nestas condições. A melhor opção passará sempre por contactar os serviços diplomáticos portugueses mais próximos.

Que documentos são necessários para tirar um visto?

Tipicamente, um cidadão estrangeiro deverá munir-se de um passaporte com validade Stamps on passportmínima de 3 meses, bilhete de viagem aérea de ida e volta (assegurando que poderá voltar ao seu país, se necessário), comprovativo de alojamento (no interesse do próprio cidadão) e comprovativo de recursos financeiros, que lhe permitam financiar a estadia.